2017/08/16

Peça do mês de agosto

Porta-voz
Porta-voz ou megafone de latão oco, sendo formado por um tubo de latão sem lingueta, com um diâmetro de 2 cm no bocal e de 8 cm na extremidade oposta. A armação do bocal tem um diâmetro máximo de 6 cm e a armação oposta um diâmetro de 13,5 cm.
Está inventariado com o número ME/404652/30 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária de Pedro Nunes.

O objetivo do porta-voz, instrumento semelhante a uma trombeta, era ampliar a voz de que falava através dele, ou seja, era um amplificador mecânico da voz.

2017/08/09

Exposição: "A viagem: exposição retrospetiva do pintor António Carmo. 50 anos de pintura"

Até ao dia 1 de Setembro as obras de António Carmo poderão ser admiradas na Biblioteca Nacional. Muito conhecido fora de Portugal, António Carmo é conhecido pelo equilíbrio e posicionamento das cores, onde "tudo contribui para uma explosão quente e inaudita de cores". Aceda aqui à página da exposição.

2017/08/02

Mostra: "A diáspora da palavra: obras de autores portugueses impressas fora de Portugal no Séc. XVI (1501 - 1520)"

A Biblioteca Nacional Portuguesa disponibiliza ao público, até ao dia 8 de setembro, uma mostra de obras portuguesas impressas fora do país no século XVI. Trata-se de uma pequena seleção de obras que acompanharam o exílio dos seus autores ou que, por razões económicas ou culturais, foram impressas no estrangeiro. Para mais informações consulte a página.

2017/07/25

Exposição "Jazz em Portugal: 100 anos de txim, txim, txim, pó, pó, pó , pó"

Atá ao dia 15 de Setembro na Biblioteca Nacional poderá visitar a exposição "Jazz em Portugal: 100 anos de txim, txim, txim, pó, pó, pó, pó". São apresentados documentos inéditos relativamente ao desenvolvimento deste género musical no nosso país, destacando-se figuras como Ferreira de Castro, Almada Negreiros, Stuart Carvalhais, Cotinelli Telmo, António Ferro, António Lopes Ribeiro ou Fernando Curado Ribeiro, entre outros. Mais informações aqui.

2017/07/19

Peça do mês de julho

Periscópio
Instrumento utilizado em contexto das práticas pedagógicas para demonstração do sistema de ótica nas aulas de Física. O aparelho é constituído por um contentor metálico em forma de paralelepípedo, com duas lentes em sistema de espelho em ângulo de 45º, permitindo aumentar a amplitude do campo visual.
Está inventariado com o número ME/400439/375 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária Sebastião e Silva.
O primeiro periscópio foi construído em 1894 por Ângelo Salmoirghi, mas só em 1920 Simon Lake, o aperfeiçoou. Sir Howard Grubb comercializou-o em larga escala e foi o grande fornecedor de periscópios durante a Primeira Guerra Mundial.
A partir de então, os periscópios foram utilizados como instrumentos estratégicos de guerra, quer em carros de combate, quer em submarinos. No caso do periscópio naval, foi incluído um telescópio.
A grande vantagem deste instrumento era permitir ao seu utilizar não ser visto e poder observar com rigor tudo o que se passava à sua volta. O seu alcance atingiu os 14-15 metros. Atualmente o periscópio perdeu importância, sendo o radar o instrumento preferencial.

2017/07/12

Manifesto do IFLA sobre estatísticas de bibliotecas

A DGLAB elaborou uma tradução do Manifesto da IFLA sobres estatísticas de Bibliotecas que se encontra disponível aqui. Através deste manifesto demonstra-se a importância da recolha de informação estatística nas bibliotecas de forma a definir o planeamento estratégico, entre outros.

2017/07/05

Exposição "Um compromisso para o futuro"

A Santa Casa da Misericórdia em Lisboa apresenta uma exposição intitulada "Um Compromisso para o Futuro", disponível até 10 de setembro na Galeria de Exposições Temporárias. Trata-se de uma mostra que recorda os 500 anos da primeira edição impressa do Compromisso da Confraria de Misericórdia de 1516 e da atualidade da sua mensagem. Para mais informações aceda aqui ao site.